Coffee Lover

Melitta Bentz

Melitta Bentz – A mulher que inventou o filtro de papel

Hoje é dia Internacional da Mulher e vamos contar a história de Melitta Bentz, mulher incrível que contribuiu com a cultura do consumo de café.

Hoje é uma data especial. Dia de homenagear as mulheres das nossas vidas e reforçar o quanto devemos respeitá-las (sempre e cada dia mais).

É dia também de contar a história de uma mulher que foi empreendedora em um tempo improvável!

Era século XIX, quando na cidade alemã de Dresden, nasceu Melitta Bentz. Mais precisamente em 1873.

Na época o consumo de café já fazia parte da vida das pessoas de praticamente do mundo todo e inclusive já era produzido em terras tupiniquins.

Leia também -> Qual a origem do café arábica?

A única forma de coar um cafezinho era por filtros de pano, feitos de linho.

Como já sabemos os filtros de pano são difíceis de limpar, é um método que nos traz muita lembrança, porém impossível deixá-los sempre branquinhos. Inclusive para o sensorial é um método que influencia muito no resultado final na xícara.

Qual a solução para o café coado então? O filtro de papel!

Após fazer diversos experimentos (em casa mesmo), com intuito de eliminar o problema com os coadores de pano, aos 34 anos de idade, Melitta Bentz usou um papel filtrante colocado dentro de um recipiente de latão, que tinha um furo feito por martelo na parte inferior.

Claro que não foi na primeira tentativa. Afinal, o resultado na xícara também era importante para a alemã.

Melitta Bentz procurava uma extração mais rápida e sem resíduo de café na xícara e finalmente encontrou um resultado que a agradou. Logo, em 20 de junho de 1908, ela apresentou o pedido de patente em Berlim.

O registro de proteção foi oficializado em 8 de julho de 1908, na patente de número 347895.

E assim Melitta Bentz entrou para a história como inventora do filtro de papel.  O revolucionário coador descartável.

Hoje fica mais fácil afirmar que o sucesso seria garantido e não foi diferente. Em pouco tempo, a empresa que posteriormente recebeu seu nome conquistou fama internacional.

Melitta Bentz faleceu em 29 de junho de 1950, aos 77 anos, em Holzhausen/Porta Westfalica, na Baixa Saxônia.

Angelica Lebante
Angélica Lebante

Angélica Lebante. nascida no ABC paulista é apaixonada por cafés e comprometida em compartilhar momentos cafeinados com o projeto Coffee Lover.

Nenhum comentário
Poste um comentário